Blog CNA

Saúde mental e produtividade: qual a conexão entre elas?

Saúde mental e produtividade: qual a conexão entre elas?

A pandemia nos trouxe uma realidade em que a tecnologia passou a ser o principal meio para tudo em nosso dia a dia. Além de sua função primária, que é a comunicação, passamos a usar com mais frequência para quase todas as nossas necessidades diárias, como alimentação, utilizando o serviço de delivery para pedir comidas e fazer compras de supermercado, interagir profissionalmente realizando reuniões, estudar a distância, matar a saudade da família e amigos pelas videochamadas, entre outros recursos. 

É verdade que ela é uma grande aliada, afinal, promove conexões e conforto afetivo, aproxima pessoas, traz agilidade, informação, e o aprendizado vai além.  Mas é preciso saber utilizá-la de forma consciente e equilibrada; caso contrário, podemos estar sujeitos ao tecnoestress. Esse é um estado psicológico negativo relacionado ao uso da tecnologia em excesso, que pode causar dificuldade de concentração, agressividade, dores no corpo e sensação de fadiga, podendo levar à ansiedade e à depressão. 

Segundo dados da pesquisa “Juventudes e a Pandemia do Coronavírus”, realizada pelo Conselho Nacional da Juventude em junho de 2020, "para 49% dos jovens, o lado emocional (medo, ansiedade, estresse etc.) tem atrapalhado os estudos". Diante desse dado tão elevado e diagnósticos cada vez mais frequentes de doenças mentais, devemos nos atentar aos sinais para evitar um agravamento do quadro ou até mesmo atuar preventivamente na valorização da saúde emocional, garantindo uma vida saudável e boa qualidade na rotina de estudos. 

Para evitar essa sobrecarga de informações em nossa mente, é importante desacelerar de vez em quando. E para te ajudar a manter o equilíbrio e a qualidade da sua rotina de estudos em casa, separamos algumas dicas que você pode começar a aplicar agora mesmo! 

1. Conecte-se com você 

Respeite seus limites, seus momentos, seus sentimentos, e está tudo bem! O Mindfulness é uma técnica que pode ajudar muito nesse processo, principalmente nos momentos em que se sentir sobrecarregado, pois a respiração oxigena o cérebro, ativando a área racional, contribuindo para o foco e atenção plena a cada atividade que exercer em seu dia a dia e também na concentração nos estudos e clareza das informações, gerando produtividade sem desgaste. 

2. Cuide da sua saúde física, do sono e alimentação 

A neurociência explica que ter uma boa qualidade de vida contribui muito para o processo de memorização de informações. Invista em alimentação equilibrada, exercícios físicos e noites de sono adequadas. 

Ter um sono de qualidade de pelo menos 6 horas após os estudos é fundamental, pois durante o processo de aprendizagem há um grande gasto de energia, que é preciso ser reposto, e o sono proporciona esse restabelecimento físico e mental. 

3. Organize sua rotina 

Ter horários estabelecidos para cada atividade do seu dia permite que você se prepare para estar com a atenção focada, gerando mais segurança, produtividade e evitando a tensão que leva à ansiedade e ao estresse. 

4. Retome o hábito da escrita 

É cientificamente comprovado que o ato de escrever ou fazer contas sem utilizar equipamentos eletrônicos contribui para a fixação da informação na memória, favorecendo o aprendizado. Dessa forma, nossa dica é combinar os estudos de forma virtual com outras formas de armazenamento para exercitar o cérebro, e essa técnica, aliada ao sono, trará benefícios ao seu desempenho. 

5. Deu branco! E agora? 

O famoso “branco” está conectado com ansiedade e estresse. Ele acontece, pois essas emoções aumentam a ativação do seu cérebro para o mecanismo de defesa, direcionando todo o fluxo sanguíneo para os músculos, deixando de irrigar a parte do cérebro fundamental para a clareza das informações. 

Nessa hora, gerenciar o pensamento e as emoções por meio da respiração contribui para que o fluxo sanguíneo seja redirecionado para o cérebro, que receberá a informação de que está tudo bem e, assim, você retoma o controle de acesso às informações armazenadas. 

6. Tenha um momento off 

Experimente ficar sem o celular em alguns momentos do dia, como durante as refeições, interagir com a família e amigos, e na hora de dormir. Reserve um tempo para praticar outras atividades como ler um livro ou caminhar, por exemplo. 

Agora que você já anotou as dicas, é hora de colocar em prática e depois é só colher os benefícios dessa nova rotina tanto para a sua saúde quanto para o seu desempenho em outras áreas da vida. 

MATRICULE-SE JÁ
E-MAIL TELEFONE WHATSAPP