Blog CNA
  • Home
  • Blog CNA
  • Como criar uma rotina de estudos? Veja dicas para estudar melhor em casa e reforçar as aulas

Como criar uma rotina de estudos? Veja dicas para estudar melhor em casa e reforçar as aulas

Como criar uma rotina de estudos? Veja dicas para estudar melhor em casa e reforçar as aulas

O caminho até dominar uma segunda língua nem sempre é linear, mas não existem grandes mistérios: seja para aprender a falar inglês ou aprender espanhol, manter uma rotina de estudos será essencial neste trajeto. 

Entre as dicas para estudar melhor, ou dar os primeiros passos: praticar em casa e revisar o material estudado continua no topo das prioridades para quem quer conquistar um novo idioma. 

Mas não só, tentar encontrar aplicações do conteúdo na vida real pode ser uma maneira de absorver o novo vocabulário. Como esse conteúdo pode aparecer na rotina? De forma espontânea, as informações da sala de aula podem aparecer no dia a dia. Se o aluno acabou de aprender a se apresentar, repare nas diversas maneiras como as personagens de filmes e séries se cumprimentam, porque dessa forma, consegue concretizar e expandir as lições das aulas. 
 

O que a ciência fala sobre aprender melhor?  

A partir de artigos científicos, e baseada na tese do livro "Make it Stick: The Science of Successful Learning", do escritor Peter C. Brown com os professores Henry L. Roediger e Mark A. McDaniel, a Harvard separou uma lista com "estratégias eficazes de aprendizagem". 


Para os especialistas, a virada de chave quando falamos sobre hábitos para estudar melhor tem a ver com a forma que exercitamos a memória. No caso de se aprofundar em um novo idioma, exercitar a lembrança recente auxilia na absorção do conteúdo.

 

Saiba 4 dicas para estudar melhor com base científica: 

  • Faça perguntas sobre o material estudado em sala de aula ou durante a rotina de estudos. Com a ajuda das anotações, separe os tópicos importantes e crie perguntas a partir disso. Quando o conhecimento é exercitado na memória, ele não é esquecido e também auxilia a perceber o que ainda falta compreender.
     
  • Divida-se entre estudos e provas. À medida em que você ganha domínio sobre o material estudado, seja para aprender inglês ou outros conhecimentos, faça testes espaçados entre semanas ou meses. 
     
  • Intercale a sua rotina de estudos: misture exercícios de escuta e escrita com outros de conversação e vocabulário. A intercalação ou alternância de tópicos melhora a sua capacidade de lembrar e aplicar as informações no futuro. 
     
  • Faça perguntas a si mesmo enquanto lê. Por que isso faz sentido? Ou por que isso não faz sentido? Perguntar o porquê das coisas ajuda na maneira como processamos e entendemos informações. 

 

Como o cérebro funciona para aprender de verdade: 

Há mais de uma década, os pesquisadores começaram a buscar compreender como o cérebro realmente funciona. Com a ajuda da neurociência e psicologia cognitiva, os cientistas entenderam que o cérebro possui as suas próprias regras, e com isso chegaram a novas conclusões.

Na coluna da revista TIME, "Brilliant: the science of smart",  a pesquisadora Annie Murphy Paul, escreve sobre o quociente de aprendizagem. Neste caso, o conhecimento não é determinado por regras pré-estabelecidas, mas sim pela forma como o conteúdo foi absorvido. 

Além disso, o conhecimento pode ser alcançado de uma forma mais efetiva sem grandes investimentos ou tecnologias, basta entender o funcionamento da sua própria rotina de estudos.

Afinal, as maneiras de estudar melhor não são simples ou óbvias: muitas vezes, mesmo com o treino incessante, a memória pode acabar falhando. Sem contar que, as pressões da rotina e o estresse do dia a dia, também influenciam na disposição e humor.

Especialmente sobre os efeitos da pandemia, o mundo exterior pode impactar no hábito de estudar. "Existe um cansaço generalizado, mas depende muito da idade e do perfil do aluno. As crianças possuem mais dificuldade para estudar em casa sem a interação ao vivo com a turma e os professores", comenta Fernanda Porto, especialista editorial de projetos e inovação do CNA. 

Se os últimos anos trouxeram novos desafios para o aluno que quer aprender inglês ou espanhol, o momento também apontou possibilidades inéditas para o seu desenvolvimento. Descubra a melhor forma para a sua própria rotina de estudos e expanda os seus horizontes.
 

Quer entender como organizar uma rotina de estudos? Veja as dicas para estudar melhor a seguir:
 

  • Revisão é essencial 

Quanto mais você revisar e tentar aplicar o conteúdo, melhor. Quando estudamos um idioma precisamos rever e usar as novas palavras para não esquecermos o que foi apresentado. Além disso, a revisão fora da sala de aula promove a autonomia: o aluno passa a ter um papel ativo no seu aprendizado. 
 

  • Vamos dobrar a meta  

Sim! Desenvolva o assunto da sala de aula em casa, que tal começar com 5 novas palavras por semana? Escolha um assunto ou um tema específico para se aprofundar no conteúdo apresentado pelo professor. E não tenha medo de usar a criatividade, seja manter um caderno de anotações ou um quadro com post its, o importante é desenvolver maneiras de lembrar dessas palavras ao longo do dia e entender como elas podem ser aplicadas em frases. Para os adultos, o importante é entender os seus objetivos a longo prazo e atrelar as metas de estudo com as metas de vida. Por exemplo, estudar o Present Perfect pode ser uma meta de estudo que ajuda o aluno a escrever sobre as suas experiências profissionais no seu CV.
 

  • Tempo de aprender

Não existe milagre, quanto mais estudar e interagir com a língua melhor, mas encontrar assuntos de interesse e maneiras de aproveitar o conteúdo podem ajudar nesta jornada. O que existe é uma estimativa de horas de estudo guiadas necessárias para cada nível de inglês, de acordo com o Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR). 
 
Horas guiadas são horas em sala de aula/com o professor. O aluno mais básico tem menos capacidade de estudar sem esse apoio, se compararmos com o aluno mais avançado, que já consegue buscar conteúdos e aplicar a língua por conta própria.
 
Mas qualquer aluno que segue as dicas de estudo do seu professor em casa, busca conteúdos em inglês e tenta aplicar o que ele aprendeu, pode acelerar o seu aprendizado. Basicamente, quanto mais horas de estudo e interação com a língua, melhor, mas a necessidade e possibilidade de fazer isso de forma autônoma aumenta conforme o nível linguístico do aluno aumenta.
 

  • Cultive novos interesses 

Além de se dedicar aos estudos dentro de sala de aula, é importante o aluno se interessar pelo idioma em casa, sem que pareça "estudo". E vale de tudo! Gostou do tema apresentado pelo professor durante a semana? Explore o assunto por diferentes possibilidades. Se o tema foi culinária, por que não procurar receitas em inglês no YouTube para colocar em prática? Existem vários criadores de conteúdo que falam em inglês dividindo ideias e criações culinárias. Dessa forma, pode treinar a escuta, e conhecer novos vocabulários e expressões. 
 

  • Qual é o melhor horário para estudar? 

Aperfeiçoar ou estabelecer uma nova rotina de estudos depende de muitos fatores pessoais, mas geralmente, separar um local e um horário para se dedicar a aprender inglês é um hábito que costuma funcionar com todo mundo. Afinal, tem gente que funciona melhor de manhã, outras à tarde, mas também tem os trabalhadores durante a semana, que só conseguem no sábado ou domingo. Então não se cobre para ter todas as respostas de imediato, aos poucos, crie a sua própria maneira de estudar melhor. 

FALE NO WHATSAPP